ESPECIALIZAÇÃO MÉDICA SUÍÇA: ZURIQUE, MAIORCA, LONDRES, NOVA IORQUE

8 Minutos

Clinicamente editado e revisado por THE BALANCE Esquadrão
Fato verificado

Quem procura saber o que é transtorno de personalidade antissocial, deve saber que, essa condição também pode ser conhecida como sociopatia. Trata-se de um distúrbio psicológico que afeta aproximadamente 3% da população, sendo mais prevalente entre pessoas do sexo masculino. 

Esse transtorno pode ser identificado em alguém que apresenta um padrão de desdém pelos direitos de outras pessoas e pela falta de empatia, onde estes indivíduos apresentam dificuldades em seguir normas sociais, desviando-se da conduta imposta pela sociedade desde a infância.

Os indivíduos que sofrem com esta doença frequentemente agem de forma impulsiva e irresponsável, infringem a lei e desobedecem às convenções sociais para obterem ganho próprio, muitas vezes, inclusive, não conseguem apresentar remorso ou culpa. 

Em alguns casos, essas pessoas abusam de substâncias lícitas e ilícitas, têm dificuldade de administrar e manter um trabalho e relações sociais, e também podem apresentar um comportamento promíscuo. 

Essa condição é frequentemente mal compreendida e pode ter consequências graves, tanto para o indivíduo com o distúrbio, quanto para as pessoas ao seu redor. Por isso, neste texto falaremos sobre os sinais, causas e terapias disponíveis com especialistas em transtorno de personalidade antissocial. 

É importante observar que, embora o transtorno de personalidade antissocial possa ser uma condição desafiadora de administrar, com tratamento e apoio adequados, os indivíduos com o transtorno podem levar uma vida plena e contribuir positivamente para suas comunidades.

De acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-V), os indivíduos que apresentam três ou mais sintomas do transtorno de personalidade antissocial desde os 15 anos podem se enquadrar neste transtorno. Pois geralmente apresentam um desrespeito e uma violação generalizada do direito de outras pessoas, podemos destacar alguns como:  

  • Desrespeito imprudente pela segurança própria ou de outros;
  • Incumprimento das normas sociais no que diz respeito a comportamentos lícitos, conforme indicado pela realização repetida de atos que são motivo de detenção;
  • Ausência de remorso, indicada por indiferença ou racionalização por ter ferido, maltratado ou roubado alguém, por exemplo;
  • Uso da manipulação e engano, conforme indicado por mentiras repetidas, uso de pseudônimos, ou ainda enganar outras pessoas para obter lucro ou prazer pessoal;
  • Irritabilidade e agressividade, indicadas por brigas ou agressões físicas repetidas;
  • Impulsividade ou falha em planejar com antecedência;
  • Irresponsabilidade constante, indicada por falha repetida em manter um comportamento de trabalho consistente ou honrar obrigações financeiras;
  • Apresentam promiscuidade, mantendo relações sexuais com diversas pessoas;
  • Podem ter um histórico de detenção ou encarceramento.

Mesmo que uma criança já apresente esses comportamentos, a realização do diagnóstico é recomendado para indivíduos que já tenham 18 anos, pois, dessa forma, os sinais não serão confundidos com sintomas presentes durante a adolescência. 

Nem todas as pessoas que apresentam esses comportamentos necessariamente irão ter este transtorno, por isso, é importante que o diagnóstico seja realizado por um especialista de transtorno de personalidade antissocial.

Embora as origens exatas desta doença sejam desconhecidas, as causas do transtorno de personalidade antissocial são complexas. Acredita-se que fatores hereditários, ambientais e neurobiológicos possam contribuir para o desenvolvimento do distúrbio.

Em relação à genética, aqueles que têm histórico familiar da doença são mais propensos a adquiri-la. Algumas pesquisas acerca da neurobiologia também relatam que os genes que regulam a serotonina, um neurotransmissor que afeta o humor e o comportamento, são capazes de influenciar no desenvolvimento do transtorno.

Isso porque indivíduos com o transtorno podem apresentar uma estrutura e função cerebral diferente de pessoas que não o tem, onde existe uma alteração no controle das emoções e do comportamento.

Já em relação às variáveis ambientais, as experiências iniciais de vida, caso sejam  traumáticas ou com negligência e abuso na infância, podem contribuir para iniciar o padrão de desrespeito às autoridades e a dificuldade de expressar emoções, até que a pessoa passe a não saber senti-las e/ou expressá-las. 

Além disso, também temos a influência de fatores sociais e culturais, como falta de acesso a lazer, cultura e educação. Para o indivíduo apresentar os sintomas de transtorno de personalidade antissocial, geralmente é necessário que ele tenha um conjunto de influências ambientais, hereditárias e neurobiológicas.

Tudo isso contribui para seu desenvolvimento, e mesmo assim a causa ainda pode ser incerta, por isso, faz-se necessário um acompanhamento especializado dos pacientes com suspeitas do transtorno.

Embora não exista uma cura para o transtorno de personalidade antissocial, existem intervenções disponíveis que podem auxiliar os indivíduos a controlarem seus sintomas. As soluções englobam uma série de combinações de tratamentos, como: psicoterapia, medicação e uma rede de apoio estável da família e dos entes queridos.

A psicoterapia fornece uma variedade de abordagens que podem contribuir para a evolução e desenvolvimento do paciente, incluindo terapia cognitivo-comportamental, terapia comportamental dialética e terapia psicodinâmica. Estas visam auxiliar os indivíduos a desenvolverem maneiras de melhorarem seus relacionamentos e gerenciarem de uma melhor forma suas emoções e controle de impulsos. 

Com isso, atuam buscando identificar as oscilações de comportamentos e de pensamentos para que se desenvolvam estratégias individuais, de modo a reduzir o risco para si mesmo e para os outros, ajudando o paciente a lidar da melhor forma com situações complicadas e de estresse.

Tratamento é fundamental para a melhora da qualidade de vida

O trabalho com um terapeuta auxilia na exploração de sentimentos e pensamentos que não estão conscientes, buscando insights que possam auxiliar na maior compreensão sobre si mesmo. O processo terapêutico também é muito importante para a família, pois auxilia na melhora e no entendimento das relações de todos, ajudando todos a encararem a situação de uma maneira mais saudável.

Mesmo fazendo psicoterapia, o paciente também deve estar em acompanhamento psiquiátrico, porque a medicação pode ser benéfica em alguns casos para auxiliar na estabilidade e controle do humor. Com isso, podem ser receitados remédios como: antidepressivos, antipsicóticos e estabilizadores de humor, que influenciam na redução de sintomas de depressão, ansiedade e também na impulsividade.  

O tratamento é um processo longo e desafiador, e muitos indivíduos acreditam que não necessitam de tratamento, mostrando uma grande resistência. Porém, com o suporte e apoio da família e entes queridos que o incentivam a buscar ajuda, juntamente com a disciplina de seguir os tratamentos, o indivíduo com transtorno de personalidade antissocial poderá aumentar sua qualidade de vida e viver tranquilo em sociedade.

FAQs

COMO A BALANÇA PODE AJUDAR

A Balance RehabClinic é uma provedora líder de tratamento de dependência de luxo e saúde mental para indivíduos ricos e suas famílias, oferecendo uma mistura de ciência inovadora e métodos holísticos com atendimento individualizado incomparável.

UM MÉTODO EXCLUSIVO

Um conceito bem-sucedido e comprovado com foco em causas subjacentes.
UM CLIENTE POR VEZ
ABORDAGEM DURADOURADA PERSONALIZADA
RESTAURAÇÃO BIOQUÍMICA
MULTIDISCIPLINAR E HOLÍSTICO
TRATAMENTO BASEADO EM TECNOLOGIA
TERAPIA INFORMADA DE TRAUMA

ABORDAGEM DURADOURO

0 Antes

Enviar solicitação de admissão

0 Antes

Definir metas de tratamento

1 semana

Avaliações abrangentes e desintoxicação

1-4 semana

Terapia física e mental contínua

4 semana

Terapia Familiar

5-8 semana

Sessões de acompanhamento pós-tratamento

12+ semana

Visitas de atualização

Saúde Mental Percepções

últimas notícias e pesquisas sobre Saúde Mental
Fobia sintomas
Fobia: Compreender Para Combater

Determinar as fobias “mais perigosas” é subjetivo, pois o impacto varia de acordo com as experiências e circunstâncias individuais

read more
transtorno de borderline
O que é transtorno de borderline

A compreensão das causas do Transtorno de Personalidade Borderline é um desafio, pois múltiplos fatores contribuem para moldar essa condição, como, por exemplo

read more
depressão psicótica tem cura
Depressão Psicótica — Conheça as causas, e veja se tem cura

A depressão psicótica é uma condição psiquiátrica complexa e debilitante que combina os sintomas da depressão com a presença de sintomas psicóticos

read more
como tratar um narcisista
Narcisismo Como lidar

A terapia cognitivo-comportamental é um tipo de terapia que pode ser usada para tratar o transtorno de personalidade narcisista

read more

Acreditações

 
NeuroCare
TAA
ssaamp
Somatic Experience
SMGP
SEMES
SFGU
WPA
red GDPS
pro mesotherapie
OGVT
AMF
NeuroCademy
MEG
institute de terapie neural
ifaf
FMH
EPA
EMDR
COPAO
COMIB
British Psychology Society
 

Media

 
Live Science
Woman & Home
National World
American Banker
Marie Claire
BBC
La Nacion
Metro UK
General Anzeiger
Mallorca Magazin
Dazed
Apartment Therapy
Express UK
Bloomberg
Cosmopolitan
Morgenpost
Manager Magazin
Entrepreneur ME
HighLife
Psychreg
DeluxeMallorca
BusinessInsider
ProSieben
Sat1
Focus
Taff
TechTimes
PsychologyToday
abcMallorca
LuxuryLife
Mirror UK
Mallorca Zeitung
Daily Mail
Guardian
Business Leader