ESPECIALIZAÇÃO MÉDICA SUÍÇA: MAIORCA, ZURIQUE, LONDRES, OFFSHORE

13 Minutos

Clinicamente editado e revisado por THE BALANCE Esquadrão
Fato verificado

Compreender a síndrome do impostor é fundamental para muitas pessoas que lutam com sentimentos de inadequação, apesar do sucesso evidente. Desde sua definição até suas manifestações em mulheres, suas origens e possíveis tratamentos, este artigo explora as complexidades desse fenômeno psicológico e oferece insights sobre como superar seus desafios.

Sindrome do Impostor

A síndrome do impostor é um fenômeno psicológico em que os indivíduos duvidam de suas habilidades e realizações, sentindo que não merecem o sucesso e temendo ser expostos como uma fraude. Esse sentimento persistente de inadequação geralmente persiste apesar das evidências externas de competência (1).

A síndrome pode se manifestar em vários aspectos da vida, inclusive no trabalho, na escola, nos relacionamentos e nas realizações pessoais. As pessoas que sofrem da síndrome do impostor tendem a atribuir seu sucesso à sorte ou a outros fatores externos, em vez de reconhecer suas próprias habilidades e esforços. Elas podem buscar constantemente a validação dos outros, temer o fracasso e sentir ansiedade por serem “descobertas”.

A síndrome do impostor não é classificada como um transtorno mental nos manuais de diagnóstico padrão, como o DSM-5 ou o ICD-10. Entretanto, muitas vezes ela pode ser encontrada na categoria mais ampla de transtornos de ansiedade ou como uma característica de outros problemas de saúde mental, como depressão ou perfeccionismo. É importante observar que, embora a síndrome do impostor em si não seja um diagnóstico clínico, ela pode afetar significativamente o bem-estar mental e a qualidade de vida de uma pessoa (2).

O termo “síndrome do impostor” foi cunhado pelas psicólogas Pauline Clance e Suzanne Imes em 1978. Inicialmente, elas o descreveram no contexto de mulheres de alto desempenho que não conseguiam internalizar seu sucesso, apesar da evidência de competência e realização. Clance e Imes realizaram pesquisas e publicaram artigos sobre o fenômeno, destacando sua prevalência e impacto, especialmente entre indivíduos em ambientes acadêmicos e profissionais (3).

Desde então, a síndrome do impostor foi reconhecida como um problema generalizado que afeta pessoas de todos os gêneros, idades e origens. É particularmente comum entre indivíduos perfeccionistas, altamente autocríticos ou provenientes de grupos marginalizados que enfrentam estereótipos e expectativas da sociedade. As pressões de ambientes de alto desempenho, como o acadêmico, os ambientes corporativos e os campos criativos, podem exacerbar os sentimentos de impostorismo.

A síndrome do impostor na sua vertente feminina pode se manifestar de várias maneiras, muitas vezes influenciadas por expectativas sociais, normas culturais e experiências pessoais. Conheça algumas manifestações comuns da síndrome do impostor em mulheres.

Subestimação das conquistas

As mulheres com síndrome do impostor podem subestimar suas realizações, atribuindo-as à sorte ou a fatores externos, em vez de reconhecer suas próprias habilidades e esforços. Elas podem achar que não conquistaram de fato o sucesso e temem ser expostas como incompetentes (4).

Superação para provar seu valor

Algumas mulheres podem se envolver em uma busca incessante pela perfeição e superação como forma de compensar os sentimentos de inadequação. Elas podem assumir responsabilidades adicionais, trabalhar longas horas ou buscar várias qualificações em uma tentativa de validar sua competência (5).

Busca de validação externa

As mulheres afetadas pela síndrome do impostor geralmente buscam validação externa de outras pessoas para afirmar suas habilidades. Elas podem buscar constantemente a aprovação e a garantia de colegas, mentores ou supervisores, duvidando de seu próprio julgamento e decisões (6).

Medo do fracasso

Geralmente, há um medo generalizado do fracasso entre as mulheres que sofrem da síndrome do impostor. Elas podem evitar assumir novos desafios ou oportunidades por medo de não atender às expectativas ou de serem expostas como uma fraude. Esse medo pode levar à estagnação e à perda de oportunidades de crescimento pessoal e profissional (7).

Dificuldade em aceitar elogios

As mulheres com síndrome do impostor podem ter dificuldade para aceitar elogios ou louvores por suas realizações. Elas podem se sentir desconfortáveis ao serem reconhecidas por seu trabalho e podem desviar os elogios ou atribuir seu sucesso a outras pessoas (8).

Comparação com os outros

A comparação constante com colegas ou pares pode exacerbar os sentimentos de impostorismo nas mulheres. Elas podem perceber os outros como mais competentes ou realizados, o que leva ao aumento da dúvida e à diminuição da autoestima (9).

Sacrificar o bem-estar pessoal

Em sua busca por sucesso e validação, as mulheres com síndrome do impostor podem negligenciar seu próprio bem-estar. Elas podem priorizar o trabalho em detrimento da vida pessoal, sacrificar hobbies ou interesses e sofrer esgotamento devido à pressão para provar seu valor (10).

Não há um teste específico para diagnosticar a síndrome do impostor, pois ela não é reconhecida como um distúrbio clínico. Entretanto, várias ferramentas de autoavaliação, como a Clance Impostor Phenomenon Scale (CIPS) e a Harvey Impostor Phenomenon Scale (HIPS), podem ajudar as pessoas a avaliar suas experiências e sentimentos relacionados ao impostorismo. Essas escalas consistem em perguntas elaboradas para medir sentimentos de fraude e dúvida.

Em geral, esses testes são questionários autoadministrados e podem ser aplicados pelos próprios indivíduos ou por profissionais de saúde mental durante sessões de aconselhamento ou terapia. Embora essas avaliações possam fornecer informações sobre as experiências de uma pessoa, elas não são ferramentas de diagnóstico no sentido tradicional, mas ajudam a entender e explorar os pensamentos e sentimentos relacionados à síndrome do impostor (11).

A síndrome do impostor pode se originar de uma combinação de fatores internos e externos, incluindo educação, traços de personalidade, expectativas sociais e experiências passadas. Consulte os principais fatores que contribuem para o desenvolvimento da síndrome do impostor.

Experiências precoces

As experiências da infância, como críticas excessivas ou pressão para se destacar, podem contribuir para o desenvolvimento da síndrome do impostor. As pessoas que eram constantemente comparadas a outras ou que enfrentavam grandes expectativas dos pais ou professores podem internalizar sentimentos de inadequação e dúvida (12).

Traços de personalidade

Perfeccionismo, autocrítica elevada e tendência a estabelecer padrões irrealisticamente altos para si mesmo são traços comuns de personalidade associados à síndrome do impostor. As pessoas que se impõem padrões impossíveis geralmente sentem que estão aquém do esperado, apesar de suas conquistas (13).

Fatores culturais e sociais

As normas sociais e as expectativas culturais podem desempenhar um papel significativo na promoção da síndrome do impostor, principalmente entre os grupos marginalizados. Mulheres, pessoas de cor e indivíduos de origens sub-representadas podem enfrentar estereótipos e pressões sociais que contribuem para sentimentos de inadequação e dúvida (14).

Sucesso e validação

Surpreendentemente, o sucesso e a validação externa podem exacerbar a síndrome do impostor. Alcançar o sucesso além das expectativas ou receber elogios de outras pessoas pode desencadear sentimentos de fraude e o medo de ser exposto como não merecedor (15).

Percepção de falta de competência

Os indivíduos com síndrome do impostor geralmente lutam com sentimentos internalizados de incompetência, independentemente de suas habilidades e realizações reais. Eles podem desconsiderar suas conquistas como sorte ou momento oportuno, acreditando que enganaram os outros, fazendo-os pensar que são mais capazes do que realmente são (16).

Ambiente de trabalho

Ambientes de trabalho de alta pressão, ambientes acadêmicos competitivos ou culturas que enfatizam o perfeccionismo e a realização podem contribuir para a síndrome do impostor. O esforço constante para atender a expectativas irreais ou o medo do fracasso em tais ambientes pode perpetuar sentimentos de fraude e dúvida (17).

Os sintomas da síndrome do impostor se manifestam de várias maneiras, geralmente caracterizadas por sentimentos persistentes de dúvida, inadequação e medo de ser exposto como uma fraude. Aqui estão alguns sintomas:

  • Auto-depreciação: indivíduos com síndrome do impostor podem se envolver em comportamentos de autodepreciação, constantemente menosprezando suas próprias habilidades e realizações. Eles podem desprezar elogios ou louvores, atribuindo seu sucesso à sorte ou a fatores externos (18);
  • Excesso de trabalho: um sintoma comum é o excesso de trabalho ou de dedicação, em uma tentativa de compensar os sentimentos de inadequação. Esse comportamento pode levar ao esgotamento, pois os indivíduos se esforçam para provar seu valor por meio de esforço excessivo (19);
  • Retraimento social: a síndrome do impostor pode levar ao retraimento social, pois os indivíduos temem ser expostos como incompetentes ou fraudulentos em ambientes sociais. Eles podem evitar oportunidades de networking ou se esquivar de interações sociais para evitar o escrutínio (20);
  • Procrastinação: alguns indivíduos com síndrome do impostor podem procrastinar tarefas ou evitar assumir novos desafios por medo de fracassar. Esse comportamento de evitação decorre de um medo arraigado de não atender às expectativas ou de ser percebido como incapaz (21);
  • Perfeccionismo: embora tenha sido mencionado anteriormente, o perfeccionismo é um sintoma significativo que vale a pena enfatizar. Os indivíduos com síndrome do impostor geralmente estabelecem padrões inatingíveis para si mesmos, levando à insatisfação crônica com seu desempenho e suas realizações (22).
  • Dificuldade em aceitar feedback: as pessoas podem ter dificuldade em aceitar feedback ou críticas construtivas, interpretando-as como confirmação de sua incompetência. Essa aversão ao feedback pode prejudicar o crescimento pessoal e profissional e perpetuar sentimentos de impostorismo (23).

O tratamento da síndrome do impostor envolve uma abordagem multifacetada com o objetivo de desafiar os padrões de pensamentos negativos, melhorar a autoestima e desenvolver estratégias de enfrentamento mais saudáveis. Embora não exista uma solução única para todos os casos, vários tratamentos e técnicas eficazes podem ajudar as pessoas a superar a síndrome do impostor e recuperar a confiança em suas habilidades.

Terapia cognitivo-comportamental (TCC)

A TCC é uma abordagem amplamente reconhecida e eficaz para o tratamento da síndrome do impostor. Ela ajuda os indivíduos a identificar e desafiar as crenças distorcidas e a conversa interna negativa associadas ao impostorismo. Por meio de técnicas de reestruturação cognitiva, os indivíduos aprendem a substituir pensamentos autolimitantes por outros mais equilibrados e realistas, promovendo uma autopercepção mais saudável (24).

Exercícios de autocompaixão

A prática da autocompaixão pode neutralizar os sentimentos de inadequação e dúvida associados à síndrome do impostor. Os exercícios de autocompaixão envolvem tratar a si mesmo com bondade, reconhecer a humanidade comum e aceitar a imperfeição. Ao promover um diálogo interno de apoio e nutrição, as pessoas podem desenvolver resiliência e autoconfiança (25).

Coaching profissional ou mentoria

Trabalhar com um coach ou mentor pode fornecer orientação e apoio personalizados para superar a síndrome do impostor. Os coaches podem ajudar as pessoas a identificar seus pontos fortes, definir metas realistas e desenvolver estratégias para gerenciar a dúvida e o perfeccionismo em empreendimentos profissionais e pessoais (26).

Desenvolvimento da resiliência

O desenvolvimento de habilidades de resiliência, como resolução de problemas, assertividade e gerenciamento de estresse, pode ajudar as pessoas a enfrentar desafios e contratempos associados à síndrome do impostor. Ao cultivar a resiliência, os indivíduos podem se recuperar de fracassos e contratempos com mais confiança e determinação (27).

Abraçar o fracasso como uma oportunidade de aprendizado

Mudar a percepção do fracasso de um reflexo de inadequação para uma valiosa oportunidade de aprendizado pode ajudar as pessoas a superar a síndrome do impostor. Aceitar o fracasso como parte natural do processo de aprendizado pode reduzir o medo e o perfeccionismo, permitindo que as pessoas assumam riscos e busquem oportunidades de crescimento (28).

A combinação dessas abordagens em um plano de tratamento personalizado, adaptado às necessidades e preferências individuais, pode capacitar as pessoas a superar a síndrome do impostor e prosperar em suas vidas pessoais e profissionais. É importante lembrar que a superação da síndrome do impostor é uma jornada que exige paciência, autocompaixão e compromisso com o crescimento pessoal.

Redescubra sua confiança interior e supere a Síndrome do Impostor na The Balance Luxury Clinic em Mallorca, na Espanha. Nossos tratamentos personalizados combinam excelência terapêutica com o ambiente sereno de nosso retiro mediterrâneo. Recupere sua autoestima, abrace o sucesso e embarque em uma jornada de crescimento pessoal em um ambiente exclusivo e tranquilo.

  1. Carolyn Magee Bell, Tyler A Vest, Sara J White, Dealing with doubt: Overcoming impostor syndrome in new practitioners, American Journal of Health-System Pharmacy, Volume 79, Issue 6, 15 March 2022, Pages 421–423
  2. Huecker MR, Shreffler J, McKeny PT, Davis D. Imposter Phenomenon. 2023 Jul 31. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2024 Jan–. PMID: 36251839
  3. Clance PR, Imes SA.. The imposter phenomenon in high achieving women: dynamics and therapeutic intervention. Psychotherapy. 1978;15(3):241–247.
  4. Kastelic J, Ogilvie T. Is the “impostor syndrome” affecting you and limiting your achievements? Can Vet J. 2022 Apr;63(4):347-348. PMID: 35368393; PMCID: PMC8922383.
  5. Bravata DM, Watts SA, Keefer AL, Madhusudhan DK, Taylor KT, Clark DM, Nelson RS, Cokley KO, Hagg HK. Prevalence, Predictors, and Treatment of Impostor Syndrome: a Systematic Review. J Gen Intern Med. 2020 Apr;35(4):1252-1275. doi: 10.1007/s11606-019-05364-1. Epub 2019 Dec 17. PMID: 31848865; PMCID: PMC7174434.
  6. Rohrmann S, Bechtoldt MN, Leonhardt M. Validation of the Impostor Phenomenon among Managers. Front Psychol. 2016 Jun 2;7:821. doi: 10.3389/fpsyg.2016.00821. PMID: 27313554; PMCID: PMC4890534.
  7. Fleischhauer M, Wossidlo J, Michael L, Enge S. The Impostor Phenomenon: Toward a Better Understanding of the Nomological Network and Gender Differences. Front Psychol. 2021 Nov 17;12:764030. doi: 10.3389/fpsyg.2021.764030. PMID: 34867665; PMCID: PMC8635861.
  8. Cader FA, Gupta A, Han JK, Ibrahim NE, Lundberg GP, Mohamed A, Singh T. How Feeling Like an Imposter Can Impede Your Success. JACC Case Rep. 2021 Feb 17;3(2):347-349. doi: 10.1016/j.jaccas.2021.01.003. PMID: 34317533; PMCID: PMC8310963.
  9. Fassl F, Yanagida T, Kollmayer M. Impostors Dare to Compare: Associations Between the Impostor Phenomenon, Gender Typing, and Social Comparison Orientation in University Students. Front Psychol. 2020 Jun 19;11:1225. doi: 10.3389/fpsyg.2020.01225. PMID: 32636782; PMCID: PMC7318883.
  10. Feenstra S, Begeny CT, Jordan J, Ryan MK, Stoker JI, Rink FA. Reaching the top but not feeling on top of the world: Examining women’s internalized power threats. Front Psychol. 2022 Dec 15;13:931314. doi: 10.3389/fpsyg.2022.931314. PMID: 36591104; PMCID: PMC9799960.
  11. Mak KKL, Kleitman S, Abbott MJ. Impostor Phenomenon Measurement Scales: A Systematic Review. Front Psychol. 2019 Apr 5;10:671. doi: 10.3389/fpsyg.2019.00671. PMID: 31024375; PMCID: PMC6463809.
  12. Yaffe Y. Maternal and Paternal Authoritarian Parenting and Adolescents’ Impostor Feelings: The Mediating Role of Parental Psychological Control and the Moderating Role of Child’s Gender. Children (Basel). 2023 Feb 6;10(2):308. doi: 10.3390/children10020308. PMID: 36832436; PMCID: PMC9955030.
  13. Sawant NS, Kamath Y, Bajaj U, Ajmera K, Lalwani D. A study on impostor phenomenon, personality, and self-esteem of medical undergraduates and interns. Ind Psychiatry J. 2023 Jan-Jun;32(1):136-141. doi: 10.4103/ipj.ipj_59_22. Epub 2023 Feb 17. PMID: 37274568; PMCID: PMC10236681.
  14. Shinawatra P, Kasirawat C, Khunanon P, Boonchan S, Sangla S, Maneeton B, Maneeton N, Kawilapat S. Exploring Factors Affecting Impostor Syndrome among Undergraduate Clinical Medical Students at Chiang Mai University, Thailand: A Cross-Sectional Study. Behav Sci (Basel). 2023 Nov 27;13(12):976. doi: 10.3390/bs13120976. PMID: 38131833; PMCID: PMC10740738.
  15. Camara GF, de Santiago Campos IF, Carneiro AG, de Sena Silva IN, de Barros Silva PG, Peixoto RAC, Augusto KL, Peixoto AA. Relationship between Resilience and the Impostor Phenomenon among Undergraduate Medical Students. J Med Educ Curric Dev. 2022 May 12;9:23821205221096105. doi: 10.1177/23821205221096105. PMID: 35592134; PMCID: PMC9112321.
  16. Brauer K, Barabadi E, Aghaee E, Alrabai F, Elahi Shirvan M, Sendatzki R, Vierow LM. Impostor Phenomenon and L2 willingness to communicate: Testing communication anxiety and perceived L2 competence as mediators. Front Psychol. 2023 Jan 9;13:1060091. doi: 10.3389/fpsyg.2022.1060091. PMID: 36698577; PMCID: PMC9869140.
  17. Clark P, Holden C, Russell M, Downs H. The Impostor Phenomenon in Mental Health Professionals: Relationships Among Compassion Fatigue, Burnout, and Compassion Satisfaction. Contemp Fam Ther. 2022;44(2):185-197. doi: 10.1007/s10591-021-09580-y. Epub 2021 Apr 30. PMID: 33948046; PMCID: PMC8085648.
  18. Ibrahim F, Münscher JC, Herzberg PY. Examining the Impostor-Profile-Is There a General Impostor Characteristic? Front Psychol. 2021 Sep 9;12:720072. doi: 10.3389/fpsyg.2021.720072. PMID: 34566801; PMCID: PMC8458651.
  19. Duncan L, Taasoobshirazi G, Vaudreuil A, Kota JS, Sneha S. An Evaluation of Impostor Phenomenon in Data Science Students. Int J Environ Res Public Health. 2023 Feb 25;20(5):4115. doi: 10.3390/ijerph20054115. PMID: 36901122; PMCID: PMC10001774.
  20. Slade SJ. Empathy Rounds: Residents Combating Impostor Syndrome. J Grad Med Educ. 2020 Jun;12(3):351-352. doi: 10.4300/JGME-D-19-00832.1. PMID: 32595861; PMCID: PMC7301955.
  21. Clance P., O’Toole M. (1987). The imposter phenomenon: an internal barrier to empowerment and achievement’. Women Ther. 6 51–64. 10.1300/j015v06n03_05
  22. Thomas M, Bigatti S. Perfectionism, impostor phenomenon, and mental health in medicine: a literature review. Int J Med Educ. 2020 Sep 28;11:201-213. doi: 10.5116/ijme.5f54.c8f8. PMID: 32996466; PMCID: PMC7882132.
  23. Chen C. Doctor who? Reflecting on impostor syndrome in medical learners. Can Fam Physician. 2020 Oct;66(10):e268-e269. PMID: 33077468; PMCID: PMC7571643.
  24. Siddiqui ZK, Church HR, Jayasuriya R, Boddice T, Tomlinson J. Educational interventions for imposter phenomenon in healthcare: a scoping review. BMC Med Educ. 2024 Jan 8;24(1):43. doi: 10.1186/s12909-023-04984-w. PMID: 38191382; PMCID: PMC10775670.
  25. Rivera N, Feldman EA, Augustin DA, Caceres W, Gans HA, Blankenburg R. Do I Belong Here? Confronting Imposter Syndrome at an Individual, Peer, and Institutional Level in Health Professionals. MedEdPORTAL. 2021 Jul 6;17:11166. doi: 10.15766/mep_2374-8265.11166. PMID: 34277932; PMCID: PMC8257750.
  26. Zanchetta M, Junker S, Wolf AM, Traut-Mattausch E. “Overcoming the Fear That Haunts Your Success” – The Effectiveness of Interventions for Reducing the Impostor Phenomenon. Front Psychol. 2020 May 15;11:405. doi: 10.3389/fpsyg.2020.00405. PMID: 32499733; PMCID: PMC7242655.
  27. Ramsey JL, Spencer AL. Interns and imposter syndrome: proactively addressing resilience. Med Educ. 2019 May;53(5):504-505. doi: 10.1111/medu.13852. Epub 2019 Mar 28. PMID: 30924160.

COMO A BALANÇA PODE AJUDAR

A Balance RehabClinic é uma provedora líder de tratamento de dependência de luxo e saúde mental para indivíduos ricos e suas famílias, oferecendo uma mistura de ciência inovadora e métodos holísticos com atendimento individualizado incomparável.

UM MÉTODO EXCLUSIVO

Um conceito bem-sucedido e comprovado com foco em causas subjacentes.
UM CLIENTE POR VEZ
ABORDAGEM DURADOURADA PERSONALIZADA
RESTAURAÇÃO BIOQUÍMICA
MULTIDISCIPLINAR E HOLÍSTICO
TRATAMENTO BASEADO EM TECNOLOGIA
TERAPIA INFORMADA DE TRAUMA

ABORDAGEM DURADOURO

0 Antes

Enviar solicitação de admissão

0 Antes

Definir metas de tratamento

1 semana

Avaliações abrangentes e desintoxicação

1-4 semana

Terapia física e mental contínua

4 semana

Terapia Familiar

5-8 semana

Sessões de acompanhamento pós-tratamento

12+ semana

Visitas de atualização

Saúde Mental Percepções

últimas notícias e pesquisas sobre Saúde Mental
Doenças Psicossomáticas
Doenças Psicossomáticas

As doenças psicossomáticas se manifestam por meio de sintomas físicos e emocionais que são influenciados ou exacerbados por fatores mentais e emocionais

read more
Atenção Plena
Mindfulness

Mindfulness (Atenção Plena) é uma prática mental de manter uma consciência sem julgamentos do momento presente, envolvendo atenção concentrada nos pensamentos, sentimentos e arredores

read more
Compulsão Alimentar e Ansiedade
Compulsão Alimentar e Ansiedade

read more
Fobia Social
Fobia Social

A fobia social, ou transtorno de ansiedade social (TAS), envolve um medo intenso ou ansiedade em relação a situações sociais em que os indivíduos podem ser examinados, julgados ou constrangidos pelos outros

read more

Acreditações

 
NeuroCare
TAA
ssaamp
Somatic Experience
SMGP
SEMES
SFGU
WPA
red GDPS
pro mesotherapie
OGVT
AMF
NeuroCademy
MEG
institute de terapie neural
ifaf
FMH
EPA
EMDR
COPAO
COMIB
British Psychology Society
 

Media

 
Dazed
National World
American Banker
Marie Claire
BBC
La Nacion
Metro UK
General Anzeiger
Live Science
Woman & Home
Apartment Therapy
Express UK
Bloomberg
Cosmopolitan
Morgenpost
Manager Magazin
Entrepreneur ME
Khaleej Times
HighLife
Psychreg
DeluxeMallorca
BusinessInsider
ProSieben
Sat1
Focus
Taff
TechTimes
PsychologyToday
abcMallorca
LuxuryLife
Mirror UK
Mallorca Zeitung
Daily Mail
Guardian
Business Leader
Mallorca Magazin