ESPECIALIZAÇÃO MÉDICA SUÍÇA: MAIORCA, ZURIQUE, LONDRES, OFFSHORE

14 Minutos

Clinicamente editado e revisado por THE BALANCE Esquadrão
Fato verificado

A Fobia Social, também conhecida como transtorno de ansiedade social (TAS), é caracterizada por um medo intenso de situações sociais em que o escrutínio de outras pessoas é possível, o que leva a evitar essas situações ou a suportá-las com intenso sofrimento. 

Fobia Social

De acordo com a Classificação Internacional de Doenças da Organização Mundial da Saúde (CID-10) (1), a fobia social é definida como um medo acentuado e persistente de uma ou mais situações sociais em que o indivíduo é exposto a pessoas desconhecidas ou a um possível escrutínio de outras pessoas. O medo é excessivo e irracional, e a pessoa pode se preocupar em passar vergonha. 

O Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5) da Associação Americana de Psiquiatria descreve o transtorno de ansiedade social de forma semelhante, enfatizando o medo de ser examinado ou julgado por outras pessoas. Os critérios do DSM-5 incluem sofrimento ou prejuízo significativo em áreas sociais, ocupacionais ou outras áreas importantes do funcionamento devido ao medo ou à evitação (2). 

Essas definições enfatizam a natureza persistente e debilitante da fobia social, que pode interferir significativamente na vida diária e no funcionamento de um indivíduo.

O reconhecimento da fobia social envolve a identificação de medo ou ansiedade persistentes e excessivos relacionados a situações sociais. Esse medo pode levar a um comportamento de evitação, em que os indivíduos evitam totalmente as situações sociais ou as suportam com intenso sofrimento para escapar das interações sociais temidas (3). 

Sintomas físicos, como batimentos cardíacos acelerados, sudorese, tremores, rubor ou dor de estômago, são comuns em situações sociais para pessoas com fobia social. Além disso, os indivíduos podem apresentar sintomas emocionais, como autoconsciência, insegurança ou preocupação com o fato de serem julgados, criticados ou rejeitados pelos outros (4). 

A ansiedade antecipatória, em que os indivíduos se preocupam por dias ou semanas antes de um evento social, também é comum. Se esses sintomas persistirem por seis meses ou mais e interferirem significativamente na vida cotidiana, isso pode indicar a presença de fobia social (5).

“Medo de pessoas” não é uma descrição totalmente precisa da fobia social, embora capture uma parte da condição. A fobia social, ou transtorno de ansiedade social (TAS), envolve um medo intenso ou ansiedade em relação a situações sociais em que os indivíduos podem ser examinados, julgados ou constrangidos pelos outros. 

Embora o medo na fobia social esteja frequentemente relacionado a interações com pessoas, trata-se mais do medo de avaliação ou julgamento negativo do que do medo das pessoas em si. As pessoas com fobia social podem ter medo de serem constrangidas, criticadas ou rejeitadas em situações sociais, em vez de temerem as pessoas em geral. 

Portanto, uma descrição mais precisa da fobia social seria um medo intenso ou ansiedade em relação a situações sociais em que a pessoa pode ser examinada, julgada ou constrangida por outros, em vez de simplesmente um “medo de pessoas” (6).

Em ambos os tipos de fobia social, os indivíduos podem apresentar sofrimento significativo ou prejuízo em áreas sociais, ocupacionais ou outras áreas importantes de funcionamento devido ao medo ou à evitação de situações sociais.

Fobia Social Generalizada

Indivíduos com fobia social generalizada sentem medo e ansiedade intensos na maioria das situações sociais, como conhecer novas pessoas, participar de conversas ou ir a reuniões sociais. Eles temem ser julgados, criticados ou constrangidos na frente de outras pessoas (7, 8, 9, 10, 11).

Fobia Social Não-Generalizada

Esse tipo de fobia social limita-se a situações específicas, como fazer uma apresentação no trabalho ou escola, falar em público, apresentar-se na frente de outras pessoas, comer em público, tocar um instrumento musical ou usar banheiros públicos. 

Os indivíduos podem apresentar sintomas físicos, como tremores, sudorese ou coração acelerado, bem como ansiedade extrema ou ataques de pânico quando enfrentam essas situações (12, 13, 14).

Tipos de Fobia Social

De modo geral, a fobia social provavelmente é causada por uma combinação de fatores, sendo que cada indivíduo apresenta uma interação única de influências genéticas, biológicas, ambientais e psicológicas.

Genética

Estudos familiares sugerem uma predisposição genética para a fobia social. Indivíduos com histórico familiar de transtornos de ansiedade, incluindo fobia social, têm maior probabilidade de desenvolver a doença (15, 16).

Estrutura e funcionamento do cérebro

Diferenças na estrutura e no funcionamento do cérebro, principalmente nas áreas associadas ao medo e à ansiedade, podem contribuir para o desenvolvimento da fobia social. Pesquisas demonstraram que indivíduos com fobia social podem ter uma amígdala hiperativa, que está envolvida no processamento do medo (17, 18).

Fatores ambientais

Experiências traumáticas ou negativas em situações sociais, como bullying, ridicularização ou constrangimento, podem aumentar o risco de desenvolver fobia social. Além disso, estilos parentais superprotetores ou críticos podem contribuir para o desenvolvimento da ansiedade social (19, 20).

Fatores biológicos

Desequilíbrios nos neurotransmissores, como a serotonina e a dopamina, que estão envolvidos na regulação do humor e da ansiedade, podem desempenhar um papel no desenvolvimento da fobia social (21, 22).

Aprendizagem social

A observação de outras pessoas com medo ou ansiedade em situações sociais pode contribuir para o desenvolvimento da fobia social por meio de mecanismos de aprendizagem social (23, 24).

Os sintomas da fobia social podem ser divididos em categorias físicas, emocionais e comportamentais:

Sintomas físicos

  • Batimento cardíaco acelerado (taquicardia);
  • Sudorese;
  • Tremor ou agitação;
  • Ruborização ou sensação de rubor;
  • Falta de ar ou sensação de estar sufocando;
  • Estômago irritado, náusea ou diarreia;
  • Tensão muscular;
  • Tontura ou vertigem;
  • Sensação de desmaio;
  • Flashes quentes ou frios.

Sintomas emocionais

  • Medo ou ansiedade intensos em situações sociais;
  • Preocupação por dias ou semanas antes de um evento social;
  • Medo de ser julgado, criticado ou rejeitado pelos outros;
  • Medo de passar vergonha na frente dos outros;
  • Medo de falar em público ou de se apresentar na frente de outras pessoas;
  • Sentimento de autoconsciência e insegurança em situações sociais;
  • Evitar situações sociais ou suportá-las com extrema angústia;
  • Ansiedade antecipada sobre eventos sociais futuros;
  • Dificuldade em fazer contato visual ou falar com outras pessoas;
  • Sentir que os outros estão percebendo sua ansiedade.

Sintomas comportamentais

  • Evitar situações ou eventos sociais em que a pessoa possa ser o centro das atenções;
  • Evitar situações que possam envolver a interação com estranhos ou figuras de autoridade;
  • Usar álcool ou drogas para lidar com a ansiedade social;
  • Suportar situações sociais com extrema angústia ou ansiedade;
  • Dificuldade em fazer amigos ou manter relacionamentos;
  • Evitar atividades ou hobbies que envolvam interação social;
  • Sintomas físicos de ansiedade que levam à evitação de situações sociais.

Esses sintomas podem variar em intensidade de pessoa para pessoa e podem mudar com o tempo. A fobia social pode causar sofrimento significativo e prejuízo em áreas sociais, ocupacionais ou outras áreas importantes de funcionamento. Se não for tratada, a fobia social pode levar a sentimentos de isolamento, baixa autoestima e depressão.

Como curar Fobia Social sozinho?

Embora seja um desafio curar completamente a fobia social por conta própria, há estratégias de autoajuda que podem ser benéficas no controle dos sintomas. Essas estratégias podem ser usadas juntamente com o tratamento profissional ou se a busca de ajuda profissional não for uma opção no momento. Algumas técnicas de autoajuda são: 

  • Aprender sobre a fobia social para entender melhor sua condição e a perceber que você não está sozinho; 
  • Praticar técnicas como respiração profunda, relaxamento muscular progressivo e meditação consciente, pois podem ajudar a reduzir a ansiedade em situações sociais; 
  • Aprender a identificar e desafiar os pensamentos e crenças negativos, substituindo por pensamentos mais realistas e equilibrados;
  • Expor-se gradualmente a situações sociais temidas de forma sistemática, o que pode ajudar a dessensibilizá-lo para as situações que causam ansiedade; 
  • Aprimorar suas habilidades sociais por meio da prática e da interpretação de papéis;
  • Manter um estilo de vida saudável fazendo exercícios regularmente, tendo uma dieta balanceada, dormindo o suficiente e evitando álcool e drogas.

Embora essas estratégias de autoajuda possam ser benéficas, elas podem não ser suficientes por si só para casos graves de fobia social. É essencial procurar ajuda profissional se estiver lutando para controlar seus sintomas. 

Remédio para Fobia Social

Os tratamentos farmacológicos para fobia social têm como objetivo reduzir os sintomas de ansiedade e melhorar o funcionamento geral. 

Medicamentos antidepressivos

Os inibidores seletivos da recaptação de serotonina e os inibidores da recaptação de serotonina-norepinefrina são os medicamentos de primeira linha para a fobia social. Esses medicamentos ajudam a regular os níveis de serotonina no cérebro, o que pode reduzir os sintomas de ansiedade. Os ISRSs comuns usados para tratar a fobia social incluem a sertralina, a paroxetina e a fluoxetina. Os SNRIs, como a venlafaxina, também podem ser prescritos (25).

Benzodiazepínicos

Os benzodiazepínicos podem ser prescritos para o alívio de curto prazo dos sintomas de ansiedade em situações sociais. Esses medicamentos funcionam rapidamente para reduzir a ansiedade, mas geralmente não são recomendados para uso em longo prazo devido ao risco de dependência e outros efeitos colaterais. Os exemplos incluem alprazolam, clonazepam e lorazepam (26).

Beta-bloqueadores

Os betabloqueadores, como o propranolol, podem ser prescritos para ajudar a reduzir os sintomas físicos da ansiedade, como batimentos cardíacos acelerados e tremores. Os betabloqueadores funcionam bloqueando os efeitos da adrenalina, ajudando a reduzir a resposta de “luta ou fuga” do corpo a situações que provocam ansiedade (27).

Outros medicamentos

Outros medicamentos que podem ser prescritos para a fobia social incluem anticonvulsivantes, como gabapentina e pregabalina, bem como antipsicóticos atípicos, como quetiapina. Esses medicamentos podem ser usados isoladamente ou em combinação com SSRIs ou SNRIs para ajudar a controlar os sintomas de ansiedade.

Os tratamentos farmacológicos para fobia social geralmente são usados em combinação com terapia e estratégias de autoajuda para proporcionar um tratamento abrangente.

As estratégias de tratamento não farmacológico para fobia social concentram-se em técnicas de terapia e autoajuda. As principais estratégias de tratamento não farmacológico incluem:

Terapia cognitivo-comportamental

A TCC é a forma mais eficaz de terapia para fobia social. Ela ajuda as pessoas a identificar e mudar os padrões de pensamentos e comportamentos negativos que contribuem para a ansiedade social. A terapia de exposição, um tipo de TCC, envolve a exposição gradual dos indivíduos a situações sociais temidas de forma controlada e sistemática (28).

Terapia de exposição

A terapia de exposição é uma forma específica de TCC que envolve a exposição gradual de indivíduos a situações sociais temidas. Essa exposição ajuda a dessensibilizar os indivíduos para as situações que causam ansiedade e os ensina que é improvável que os resultados temidos ocorram (29).

Terapias baseadas em mindfulness

As terapias baseadas em mindfulness, como a redução de estresse baseada em mindfulness (MBSR) e a terapia cognitiva baseada em mindfulness (MBCT), podem ajudar as pessoas a aprender a observar seus pensamentos e sentimentos sem julgamento, reduzindo a ansiedade em situações sociais (30).

Treinamento de habilidades sociais

O treinamento de habilidades sociais ajuda as pessoas a melhorar suas habilidades sociais por meio da prática e da encenação. Isso pode ajudar as pessoas a se sentirem mais confiantes e confortáveis em situações sociais (31).

Grupos de apoio

Participar de um grupo de apoio para pessoas com fobia social pode proporcionar um senso de comunidade, incentivo e compreensão. Compartilhar experiências com outras pessoas que têm dificuldades semelhantes pode ser reconfortante e fortalecedor (32).

Essas estratégias de tratamento não farmacológico podem ser altamente eficazes para ajudar as pessoas a controlar os sintomas da fobia social e melhorar sua qualidade de vida. 

The Balance clínic de luxo oferece um santuário para aqueles que buscam alívio para a ansiedade social. Com planos de tratamento personalizados, os terapeutas especializados utilizam terapias de ponta, como a terapia cognitivo-comportamental e técnicas baseadas na atenção plena. Em um ambiente sereno, os clientes encontram consolo e apoio em uma comunidade de colegas compreensivos. 

  1. World Health Organization. 1993. The ICD-10 Classification of Mental and Behavioural Disorders: Diagnostic Criteria for Research. Geneva: World Health Organization.
  2. Heimberg RG, Hofmann SG, Liebowitz MR, Schneier FR, Smits JA, Stein MB, Hinton DE, Craske MG. Social anxiety disorder in DSM-5. Depress Anxiety. 2014 Jun;31(6):472-9. doi: 10.1002/da.22231. Epub 2014 Jan 2. PMID: 24395386.
  3. National Collaborating Centre for Mental Health (UK). Social Anxiety Disorder: Recognition, Assessment and Treatment. Leicester (UK): British Psychological Society (UK); 2013. (NICE Clinical Guidelines, No. 159.) 2, SOCIAL ANXIETY DISORDER.
  4. Rose GM, Tadi P. Social Anxiety Disorder. [Updated 2022 Oct 25]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2024 Jan-.
  5. Boehme S, Ritter V, Tefikow S, Stangier U, Strauss B, Miltner WH, Straube T. Brain activation during anticipatory anxiety in social anxiety disorder. Soc Cogn Affect Neurosci. 2014 Sep;9(9):1413-8. doi: 10.1093/scan/nst129. Epub 2013 Aug 11. PMID: 23938870; PMCID: PMC4158379.
  6. Schneier FR. Social anxiety disorder. BMJ. 2003 Sep 6;327(7414):515-6. doi: 10.1136/bmj.327.7414.515. PMID: 12958087; PMCID: PMC192835.
  7. Mennin DS, Heimberg RG, Turk CL, Fresco DM. Preliminary evidence for an emotion dysregulation model of generalized anxiety disorder. Behav Res Ther. 2005 Oct;43(10):1281-310. doi: 10.1016/j.brat.2004.08.008. Epub 2004 Dec 10. PMID: 16086981.
  8. Wittchen HU, Hoyer J. Generalized anxiety disorder: nature and course. J Clin Psychiatry. 2001;62 Suppl 11:15-9; discussion 20-1. PMID: 11414546.
  9. Wittchen HU. Generalized anxiety disorder: prevalence, burden, and cost to society. Depress Anxiety. 2002;16(4):162-71. doi: 10.1002/da.10065. PMID: 12497648.
  10. Stein MB, Sareen J. CLINICAL PRACTICE. Generalized Anxiety Disorder. N Engl J Med. 2015 Nov 19;373(21):2059-68. doi: 10.1056/NEJMcp1502514. PMID: 26580998.
  11. Katzelnick DJ, Kobak KA, DeLeire T, Henk HJ, Greist JH, Davidson JR, Schneier FR, Stein MB, Helstad CP. Impact of generalized social anxiety disorder in managed care. Am J Psychiatry. 2001 Dec;158(12):1999-2007. doi: 10.1176/appi.ajp.158.12.1999. PMID: 11729016.
  12. Tejwani V, Ha D, Isada C. Observations: Public Speaking Anxiety in Graduate Medical Education–A Matter of Interpersonal and Communication Skills? J Grad Med Educ. 2016 Feb;8(1):111. doi: 10.4300/JGME-D-15-00500.1. PMID: 26913118; PMCID: PMC4763377.
  13. Pickard H, Rijsdijk F, Happé F, Mandy W. Are Social and Communication Difficulties a Risk Factor for the Development of Social Anxiety? J Am Acad Child Adolesc Psychiatry. 2017 Apr;56(4):344-351.e3. doi: 10.1016/j.jaac.2017.01.007. Epub 2017 Feb 1. PMID: 28335879; PMCID: PMC5376399.
  14. Cox BJ, Clara IP, Sareen J, Stein MB. The structure of feared social situations among individuals with a lifetime diagnosis of social anxiety disorder in two independent nationally representative mental health surveys. Behav Res Ther. 2008 Apr;46(4):477-86. doi: 10.1016/j.brat.2008.01.011. Epub 2008 Jan 26. PMID: 18313030.
  15. Stein MB, Chen CY, Jain S, Jensen KP, He F, Heeringa SG, Kessler RC, Maihofer A, Nock MK, Ripke S, Sun X, Thomas ML, Ursano RJ, Smoller JW, Gelernter J; Army STARRS Collaborators. Genetic risk variants for social anxiety. Am J Med Genet B Neuropsychiatr Genet. 2017 Mar;174(2):120-131. doi: 10.1002/ajmg.b.32520. Erratum in: Am J Med Genet B Neuropsychiatr Genet. 2017 Jun;174(4):470-482. Corrected and republished in: Am J Med Genet B Neuropsychiatr Genet. 2017 Jun;174(4):470-482. PMID: 28224735; PMCID: PMC5325045.
  16. Baba A, Kloiber S, Zai G. Genetics of social anxiety disorder: a systematic review. Psychiatr Genet. 2022 Apr 1;32(2):37-66. doi: 10.1097/YPG.0000000000000310. PMID: 34955514.
  17. Bas-Hoogendam JM, Westenberg PM. Imaging the socially-anxious brain: recent advances and future prospects. F1000Res. 2020 Apr 2;9:F1000 Faculty Rev-230. doi: 10.12688/f1000research.21214.1. PMID: 32269760; PMCID: PMC7122428.
  18. Bas-Hoogendam JM. Gray matter matters: The structure of the socially-anxious brain. EBioMedicine. 2020 Sep;59:102937. doi: 10.1016/j.ebiom.2020.102937. Epub 2020 Aug 15. PMID: 32810822; PMCID: PMC7452472.
  19. Brook CA, Schmidt LA. Social anxiety disorder: a review of environmental risk factors. Neuropsychiatr Dis Treat. 2008 Feb;4(1):123-43. doi: 10.2147/ndt.s1799. PMID: 18728768; PMCID: PMC2515922.
  20. Norton AR, Abbott MJ. Bridging the Gap between Aetiological and Maintaining Factors in Social Anxiety Disorder: The Impact of Socially Traumatic Experiences on Beliefs, Imagery and Symptomatology. Clin Psychol Psychother. 2017 May;24(3):747-765. doi: 10.1002/cpp.2044. Epub 2016 Oct 11. PMID: 27726255.
  21. Caldiroli A, Capuzzi E, Affaticati LM, Surace T, Di Forti CL, Dakanalis A, Clerici M, Buoli M. Candidate Biological Markers for Social Anxiety Disorder: A Systematic Review. Int J Mol Sci. 2023 Jan 3;24(1):835. doi: 10.3390/ijms24010835. PMID: 36614278; PMCID: PMC9821596.
  22. Stein DJ, Westenberg HG, Liebowitz MR. Social anxiety disorder and generalized anxiety disorder: serotonergic and dopaminergic neurocircuitry. J Clin Psychiatry. 2002;63 Suppl 6:12-9. PMID: 12027115.
  23. Beltzer ML, Adams S, Beling PA, Teachman BA. Social anxiety and dynamic social reinforcement learning in a volatile environment. Clin Psychol Sci. 2019 Nov 1;7(6):1372-1388. doi: 10.1177/2167702619858425. Epub 2019 Sep 20. PMID: 32864197; PMCID: PMC7451209.
  24. Koban L, Schneider R, Ashar YK, Andrews-Hanna JR, Landy L, Moscovitch DA, Wager TD, Arch JJ. Social anxiety is characterized by biased learning about performance and the self. Emotion. 2017 Dec;17(8):1144-1155. doi: 10.1037/emo0000296. Epub 2017 Mar 30. PMID: 28358557; PMCID: PMC5623172.
  25. Garakani A, Murrough JW, Freire RC, Thom RP, Larkin K, Buono FD, Iosifescu DV. Pharmacotherapy of Anxiety Disorders: Current and Emerging Treatment Options. Front Psychiatry. 2020 Dec 23;11:595584. doi: 10.3389/fpsyt.2020.595584. PMID: 33424664; PMCID: PMC7786299.
  26. Davidson JR. Use of benzodiazepines in social anxiety disorder, generalized anxiety disorder, and posttraumatic stress disorder. J Clin Psychiatry. 2004;65 Suppl 5:29-33. PMID: 15078116.
  27. Davidson JR. Pharmacotherapy of social anxiety disorder: what does the evidence tell us? J Clin Psychiatry. 2006;67 Suppl 12:20-6. PMID: 17092192.
  28. Kaczkurkin AN, Foa EB. Cognitive-behavioral therapy for anxiety disorders: an update on the empirical evidence. Dialogues Clin Neurosci. 2015 Sep;17(3):337-46. doi: 10.31887/DCNS.2015.17.3/akaczkurkin. PMID: 26487814; PMCID: PMC4610618.
  29. Chowdhury N, Khandoker AH. The gold-standard treatment for social anxiety disorder: A roadmap for the future. Front Psychol. 2023 Jan 18;13:1070975. doi: 10.3389/fpsyg.2022.1070975. PMID: 36755980; PMCID: PMC9901528.
  30. Liu X, Yi P, Ma L, Liu W, Deng W, Yang X, Liang M, Luo J, Li N, Li X. Mindfulness-based interventions for social anxiety disorder: A systematic review and meta-analysis. Psychiatry Res. 2021 Jun;300:113935. doi: 10.1016/j.psychres.2021.113935. Epub 2021 Apr 20. PMID: 33895444.
  31. Beidel DC, Alfano CA, Kofler MJ, Rao PA, Scharfstein L, Wong Sarver N. The impact of social skills training for social anxiety disorder: a randomized controlled trial. J Anxiety Disord. 2014 Dec;28(8):908-18. doi: 10.1016/j.janxdis.2014.09.016. Epub 2014 Oct 5. PMID: 25445081; PMCID: PMC4254620.
  32. Sigurðardóttir S, Helgadóttir FD, Menzies RE, Sighvatsson MB, Menzies RG. Improving adherence to a web-based cognitive-behavioural therapy program for social anxiety with group sessions: A randomised control trial. Internet Interv. 2022 Apr 5;28:100535. doi: 10.1016/j.invent.2022.100535. PMID: 35433276; PMCID: PMC9006668.

COMO A BALANÇA PODE AJUDAR

A Balance RehabClinic é uma provedora líder de tratamento de dependência de luxo e saúde mental para indivíduos ricos e suas famílias, oferecendo uma mistura de ciência inovadora e métodos holísticos com atendimento individualizado incomparável.

UM MÉTODO EXCLUSIVO

Um conceito bem-sucedido e comprovado com foco em causas subjacentes.
UM CLIENTE POR VEZ
ABORDAGEM DURADOURADA PERSONALIZADA
RESTAURAÇÃO BIOQUÍMICA
MULTIDISCIPLINAR E HOLÍSTICO
TRATAMENTO BASEADO EM TECNOLOGIA
TERAPIA INFORMADA DE TRAUMA

ABORDAGEM DURADOURO

0 Antes

Enviar solicitação de admissão

0 Antes

Definir metas de tratamento

1 semana

Avaliações abrangentes e desintoxicação

1-4 semana

Terapia física e mental contínua

4 semana

Terapia Familiar

5-8 semana

Sessões de acompanhamento pós-tratamento

12+ semana

Visitas de atualização

Saúde Mental Percepções

últimas notícias e pesquisas sobre Saúde Mental
Atenção Plena
Mindfulness

Mindfulness (Atenção Plena) é uma prática mental de manter uma consciência sem julgamentos do momento presente, envolvendo atenção concentrada nos pensamentos, sentimentos e arredores

read more
Compulsão Alimentar e Ansiedade
Compulsão Alimentar e Ansiedade

read more
Fobia Social
Fobia Social

A fobia social, ou transtorno de ansiedade social (TAS), envolve um medo intenso ou ansiedade em relação a situações sociais em que os indivíduos podem ser examinados, julgados ou constrangidos pelos outros

read more
Transtorno de Compulsão Alimentar
Transtorno de Compulsão Alimentar

O TCA  é uma condição grave de saúde mental caracterizada por episódios recorrentes de compulsão alimentar, durante os quais o indivíduo consome uma quantidade anormalmente grande de alimentos em um período discreto

read more

Acreditações

 
NeuroCare
TAA
ssaamp
Somatic Experience
SMGP
SEMES
SFGU
WPA
red GDPS
pro mesotherapie
OGVT
AMF
NeuroCademy
MEG
institute de terapie neural
ifaf
FMH
EPA
EMDR
COPAO
COMIB
British Psychology Society
 

Media

 
Dazed
National World
American Banker
Marie Claire
BBC
La Nacion
Metro UK
General Anzeiger
Live Science
Woman & Home
Apartment Therapy
Express UK
Bloomberg
Cosmopolitan
Morgenpost
Manager Magazin
Entrepreneur ME
Khaleej Times
HighLife
Psychreg
DeluxeMallorca
BusinessInsider
ProSieben
Sat1
Focus
Taff
TechTimes
PsychologyToday
abcMallorca
LuxuryLife
Mirror UK
Mallorca Zeitung
Daily Mail
Guardian
Business Leader
Mallorca Magazin